14/06/2016

10 CREEPYPASTAS DO AMOR DOCE QUE VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE LER!

||||

Olá nerds da Sweet Amoris, tudo bom com vocês? O pedido de vocês é uma ordem e por isso trago hoje ~creepypasta~. Uma leitora pediu nos comentários do blog (sim, nós lemos todos) para eu voltar com o conteúdo aterrorizante do blog e por isso estou aqui. Confesso que numas pesquisas que fiz pela internet, achei só "as de sempre" para ler, lógico, são as melhores. Outras boas creepys estão bem escondidinhas, mas podem deixar, vou achar mais e trazer para vocês, porque amo também esse tipo de vertente do nosso querido Amor Doce. Para hoje, resolvi trazer as 10 CREEPYPASTAS QUE VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE LER, por serem talvez as melhores já encontradas pela internet, espero que fiquem com bastante medo gostem.

Todas as histórias aqui apresentadas NÃO SÃO minhas, mas são histórias que já li e gostei bastante, por isso que achei interessante postá-las. Peço perdão pela diagramação, tentei deixar nos mesmos espaçamentos, tipografia e tudo combinando, mas detalhes passaram despercebidos. "Mas Ana, sou leitora antiga e já li essas histórias" sim, todas as histórias já foram postadas por aqui, só que há muito tempo atrás, por isso achei bacana publicá-las novamente. "Ana, outra coisa, que postagem grande! Não seria melhor só dar os links?" Sim, só que muitas pessoas não tem uma internet rápida, assim se torna complicado abrir várias abas com diferentes histórias, mas para você que quer ver uma por uma separadamente, deixo os links:

1 Por trás do Amor Doce
2 O episódio perdido
3 Bons Pesadelos
4 A verdadeira Violette 
5 O Surto
6 O beijo final
7 Uma madrugada assustadora
8 Lunari, a moderadora fantasma
9 Todos merecem um final feliz
10 Sarah


1. POR TRÁS DO AMOR DOCE
- Por: LollaC

Me chamo Castiel, mas é provável que você já me conheça. Hoje em dia eu sou um personagem em um jogo, mas nem sempre foi assim. Já fui um garoto de verdade, assim como todos os outros — Nathaniel, Lysandre, Armin… Todos estudávamos na mesma escola e tínhamos vidas normais de adolescentes. Mas havia essa garota. Ela era esquisita e não costumava falar muito, tinha longos cabelos negros e era bastante pálida. Seus olhos eram acinzentados e não expressavam emoções, sequer me lembro de ter ouvido sua voz algum dia. A única coisa que sabia a seu respeito era seu nome, Chino Miko. Até aí tudo bem, o problema é que ela começou a nos perseguir. Sua presença parecia sempre estar por perto. Onde quer que olhássemos, lá ela estava. Começamos a ter pesadelos com ela e a escutar barulhos estranhos quando estávamos sozinhos em casa. Víamos vultos nos corredores, tínhamos a sensação de estar sendo seguidos na rua. Nunca chegava perto ou fazia ameaças, mas parecia impossível escapar de seus olhos vigilantes.


O Dia das Bruxas se aproximava e a escola estava planejando uma grande festa. Apesar de tudo, compareci ao evento. Estranhamente, naquele dia eu não havia visto nenhum sinal da Chino. Me senti aliviado, pensando que talvez ela finalmente tivesse desistido. Os outros rapazes concordavam, nenhum deles a viu ou presenciou nada de anormal no decorrer do dia. Decidimos aproveitar a festa para comemorar. Dançamos e farreamos noite adentro e já era madrugada quando percebemos que estávamos praticamente sozinhos na pista de dança. Todos já haviam ido embora, exceto... Ela estava de costas, portanto não era possível ver seu rosto, mas longos cabelos negros desciam pelas suas costas e, curioso, perguntei aos meninos se eles haviam notado a presença dela antes. Não, não haviam. Aliás, pareciam tão intrigados quanto eu.



A garota misteriosa se virou, revelando seu rosto. Era Chino, mas havia algo de diferente com ela. Seus olhos, sempre tão gélidos e cinzas, queimavam, vermelhos feito brasa. Ela nos encarava fixamente e em seus lábios trazia um sorriso psicótico. Não consigo me lembrar de mais nada a respeito daquela noite, apenas de seus olhos ardentes e demoníacos. Quando acordei estava de volta na escola, mas tudo parecia esquisito, quase virtual. Tentar fugir é como andar em círculos, sempre acabo no mesmo lugar. Estou preso aqui desde então, fadado a jogar o jogo doentio dela para todo o sempre.


2. O EPISÓDIO PERDIDO
- Por: Micky Nekoi

Olá, eu era jogadora do jogo Amor Doce à mais de 4 meses, e não sabia onde dar o meu depoimento, pois hoje quando eu conto isso ninguém acredita em mim. Eu gostava muito do jogo sabe? Estava sempre verificando se tinha episódios novos, estava sempre vendo o servidor oficial que é o Amour Sucré para ver se eles lançavam um episódio novo para jogar. Eu não costumava participar de fóruns, só via eles mesmo para ver se tinha uma novidade de jogo, caso contrário não.



Eu já joguei todos os episódios lançados. Sério mesmo, eu viciei tanto nesse jogo, que costumava comprar Cash e pontos de ação toda hora no banco, além do que eu juntava, e assim acabei terminando todos os episódios em menos de 2 meses. E se eu soubesse eu nunca teria feito isso, por que me deixou com uma ansiosidade de mais episódios, sendo que os criadores do jogo não possuem essa velocidade toda, nossa eu queria mais, eu queria um novo episódio!



Então nesse desespero eu passei a olhar os fóruns, o servidor francês, para ver se estava para vir um episódio novo. Até que na madrugada, vasculhando o fórum do site, eu vi uma coisa que me deu esperanças...



Era um tópico no fórum, o título do tópico era "Episódios em Teste do Amor Doce", como vocês sabem, que eu sempre estava à procura de um episódio novo, então quando eu vi esse tópico eu pensei: "ah deve estar falando de episódio de demonstração" mas mesmo assim eu cliquei no tópico para ler do que se tratava.



Quando eu cliquei lá, a primeira coisa que eu achei estranha, é que a usuária que havia aberto o tópico, o avatar de jogo dela havia sido deletado, então não dava para clicar no perfil dela, mas ele ainda estava lá, o nick dela era "lucie99". Achei até estranho, por que os moderadores e monitores sempre estão a par de tópicos assim, ou até deletam ele, além dele estar sem supervisão nenhuma. Mas eu logo esqueci isso, quando eu li o que estava escrito no tópico.

 O que dizia no tópico, era o seguinte:

"Olá jogadores de Amor Doce, sei que muitos de vocês estão ansiosos por um episódio novo de seu jogo favorito, pois bem, por causa disso a Chinomiko e SallyAnne (grafista e roteirista do jogo) elas estão disponibilizando "episódios teste" para você usuários do jogo testarem, pois elas estão contratando pessoas para serem da equipe de qualidade dos episódios, antes de passarem pelos moderadores e administradores para serem colocados oficialmente no jogo. Assim querem a opinião do público sobre enredo para novos episódios! Caso vocês queiram testar esses episódios, só se inscrever nesse tópico, e deixar sua mensagem de inscrição logo abaixo dele. E logo após da inscrição, se deslogue, espere por 30 minutos, e faça login novamente, e os episódio vão estar lá, para você testar e dizer o que achou desses episódios." 


 Quando eu li isso, pensei que não passava de uma brincadeira tanto até que ele não havia resposta de ninguém. Mas mesmo assim eu me inscrevi no tópico, e postei a minha mensagem de inscrição. Fiz tudo como recomendado, eu me desloguei, esperei o tempo pedido, depois entrei novamente.



E lá estavam disponíveis 6 episódios para testar... e logo que eu cliquei no primeiro para testar, veio a Chinomimi, achei ela diferente, pois a personagem não estava vestida convencionalmente ela estava com roupas pretascompridas, cobrindo até o pescoço,mas ainda com as tradicionais asas de morcego, dizendo que nenhum desses episódios iram gastar Pontos de Ação e nem cash, pois eram episódios teste, e que a nossa personagem poderia jogar em 3 modos. E que o que vissem aqui, não poderia ser comentado no fórum do jogo, se não "eles" veriam, e haveria consequências, como banimento de bloqueio de conta, eu aceitei os termos e continuei a jogar.



Logo que a Chinomimi sumiu, apareceram 3 opções como ela havia dito, as opções eram as seguintes:



A. Espionar para que você não seja vista.

B. Agir na história normalmente.
C. Ir embora.

Eu escolhi então a opção "A", que era espionar, e logo de cara abriu um novos cenários, e por incrível que pareça, eram todos fora da escola Sweet Amoris. Eram casas, e possivelmente deveriam ser as casas dos personagens do jogo e suas respectivas famílias, quando vi isso, comecei achar legal, pois ninguém sabia da vida dos personagens fora da escola, a não ser pelas entrevistas da grafista do jogo, fora isso ninguém sabe de nada, e eu ia ser a primeira a descobrir. Mas se eu soubesse o que eu estava para presenciar...

primeira casa era uma casa branca. linda por fora, parecia casa de pessoas bem de vida, como aquelas casas de residências fechadas, assim ela foi a primeira que eu entrei. E para a minha surpresa era a casa do Nathaniel. E lá estava ele a sua irmã, sua mãe e o pai. A personagem narrava tudo que via, como estou fazendo um pouco aqui, e desbloqueou a primeira imagem, nessa imagem, todos estavam sorridentes, ela disse quando os viu que "parecia um comercial de margarina" todos sorrindo, em volta de uma mesa de jantar, até a Ambre, irmã dele não parecia a mesma peste do jogo, até ela estava diferente, eles estavam conversado, até que surgiu as primeiras escolhas dentro do jogo:

A. Ouvir o que eles estão conversando.
B. Ir embora.

Óbvio que escolhi "A" novamente, pois estava muito curiosa em saber, mas logo as coisas começaram a se distorcer da bela imagem, pelo o que eles estavam conversando. Era uma conversa comum à princípio:

Pai: Ambre, Nathaniel, como foi o dia de vocês na tal corrida de orientação? O correu tudo bem?

Ambre: Ah, pai você não adivinha, o Nathaniel além de me recusar a me ajudar, ele tentou FUGIR na floresta coma parceira da corrida dele. A diretora quase chamou a polícia, só que quando eles voltaram, ela falou para não comentarem nada disso com vocês por que já haviam encontrado os dois, e não queriam manchar a reputação da escola. por sorte eles acharam, até a garota achou que eles se perderam... mas como eu sou uma "boa filha" estou contando tudo à você como sempre!

Pai: Isso é verdade Nathaniel?

Nathaniel: M-mas...?! Ambre por que você contou?!?!

Ambre: Por que você merece ser punido por não ter me ajudado. Espero que o papai dessa vez não modere...

Pai: E ele vai ser queridinha, não se preocupe. Nathaniel depois de terminarmos a refeição você me acompanhe.

Pelo visto o papo era sobre a corrida de orientação do episódio 11. Como eu tinha escolhido o Nathaniel como par, eu havia entendido o assunto da conversa, pois a gente havia se perdido mesmo, e a Diretora pediu para que não contasse nada, para não manchar a imagem da escola, já que havíamos aparecido. Mas fiquei curiosa, aonde o Nathaniel iria acompanhar o pai? O pai iria bater nele? Castigar? Estava com raiva da Ambre ter contado para o pai, e mal sabia o que eu iria ver, até que eles terminaram de comer, o pai disse ao Nathaniel "vamos?" e veio as seguintes opções:

A. Seguir os dois e ver o que vai acontecer.
B. Ir embora.

Escolhi "A", e veio novamente outras opções:

A. Tem certeza? (A opção escolhida não pode ser revertida.)
B. Ir Embora.

Lógico, o tamanho da minha curiosidade que eu tinha certeza que queria ver. Após disso, eu fui seguindo os dois, passando por cenários novos dentro da casa dele, corredores cada vez mais escuros, até chegar no porão da casa. Quando eu entrei lá, me assustei. Parecia uma sala de cultos de seita, havia um pentagrama na parede e no teto, velas vermelhas e pretas em volta, e materiais de tortura, não aqueles que você usa no sadomasoquismo, mas de tortura mesmo, medievais, com intuito de machucar gravemente. E o que eu vi não foi nada agradável... Nathaniel foi acorrentado, e começou a ser torturado de forma brutal, seu pai chicoteou as suas costas, com um chicote banhado no que me parecia um líquido feito de vidro, parecido com cerol, e fez isso até sangrarem, e formarem feridas profundas, e pedia para que ele repetisse partes da bíblia que falavam sobre punições e desonra, e o que mais me impressionou, foi que o pai dele fazia isso sorrindo. O pai dele sorria de forma sádica, e havia um brilho, uma satisfação diabólica em seu olhar, estava diferente do olhar de antes, era um olhar real demais, e ele acendeu um cachimbo também e começou a fumar, de uma maneira que parecia que lhe dava satisfação fazer tudo aquilo. Nathaniel acorrentado, gritava de dor, e implorava para que o pai parasse, mas quanto mais ele falava isso, mais o pai sorria, e dava risadas, e davas chicotadas mais fortes, e dizia "Você acha que acabou? Eu prometi a minha queridinha que não iria moderar." então nas costas do Nathaniel formou uma ferida tão profunda, que dava para enfiar os dedos inteiros dentro delas, e foi isso que o pai dele fez, enfiou os dedos dentro da ferida de suas costas e começou a rasgar elas para baixo, enquanto o sangue espirrava em sua roupa, e ele dava risadas, com uma face diabolicamente feliz, em prazer de torturar. Após disso Nathaniel quase desmaiou, mas seu pai o reanimou, e pegou uma maleta preta, que por dentro parecia um kit de primeiros socorros, mas só com remédios injetáveis em vidros suspeitos, e seringas. Ele pegou um desses remédios e uma seringa, e disse:

- Sua punição terminou, lembre-se que sempre que você tentar fugir daqui, eu vou te achar e na próxima será pior. E mesmo assim nem adiantaria, pois do jeito que você está viciado "nisto aqui" você ia implorar para voltar na hora em que lhe fizesse falta;- e injetou a seringa nele-; por isso mesmo que eu te viciei, por que você sempre vai ser meu escravo e sempre vou poder fazer o que eu quiser com você. Adoro te torturar, pois eu me divirto com a sua dor.

Logo depois disso, o pai dele saiu só havia o porão escuro, sinistro, e dava para ver Nathaniel abaixado em um canto no escuro, acorrentado, mas não dizia e fazia nada só estava lá parado, e parecia me olhar, como se soubesse que eu estava ali vendo tudo, um olhar morto, sombrio. Eu me assustei muito com o que eu vi, e decidi sair de lá quando os diálogos terminaram, mas quando eu clicava para sair, voltava para a mesma sala, só que cada frame ele estava mais perto, mais perto, até o rosto dele cobrir a tela, de uma maneira assustadora que só dava para ver os olhos, mortos te olhando, e ver que ele estava sorrindo da mesma maneira que o pai, um sorriso diabólico, diretamente para mim, e ele falou para o vazio "você também se diverte com a minha dor?" na mesma hora meu computador pifou e a tela ficou negra, tentei ligar de novo e não consegui, até que a luz na minha casa acabou e ficou tudo escuro, acendi a luz do meu celular e procurei uma vela, e acendi, mas não conseguia dormir, eu não iria conseguir mesmo se tentasse, por que toda vez que eu fechava os olhos ou ia para um canto mais escuro da casa, eu via ele olhando para mim no escuro com aquele olhar morto, de ódio, e aquele sorriso macabro.

No dia seguinte a luz voltou e levei meu computador à um técnico que disse que meu computador não tinha mais concerto, mas deu para salvar parte do conteúdo da memória dele, mas não importava, eu não queria mais depois daquilo saber de computador, internet, ou jogo Amor Doce. Então depois de um tempo comprei um computador novo, e eu pude finalmente colocar a parte da memória salva de volta, e daquela lembrança horrível só restou o print que eu tirei da mensagem daquele usuário desconhecido:



E depois de um tempo voltei para ver o site do jogo, e estava normal, como se aquilo nunca tivesse acontecido, tentei procurar aquele tópico novamente mas não achei. Tentei contactar um moderador sobre o ocorrido, e nenhum deles disseram saber disso de testar episódios novos, ou sobre aquele tópico. Então fiz um tópico no fórum, também perguntando sobre isso, e contando um pouco da minha experiência, mas nada. As moderadoras ficaram atá de saco cheio de mim, achando que eu era uma louca, e apagaram meu tópico. Não é possível que tenha acontecido isso só comigo?



Logo após disso, havia uma nova mensagem na minha caixa de mensagens. E era de lucie99. Fiquei perplexa, pois ela era um usuário deletado, e não tinha adicionado ela como amiga para ela me enviar uma mensagem, então isso seria ilógico. Eu não iria abrir, mas no final a minha curiosidade foi tanta que resolvi abrir e ler. E dizia o seguinte:

                                            "Presada usuária.
Obrigada por testar o episódio em questão. Pena que não deu para você testar os outros 5 episódios restantes, mas mesmo assim, agradecemos por ter nos ajudado. Só há um problema. 
Você foi avisada que você não poderia comentar com isso a ninguém logo no começo do episódio, e para nossa surpresa é que presenciamos seu tópico no fórum falando sobre o assunto. Infelizmente teremos que tomar medidas.
                                               Atenciosamente: lucie99" 


Assim que terminei de ler abriu uma janela pop up preta.Só consegui no começo ouvi um som distorcido parecido de estática, era horrível, ensurdecedor, medonho, como se tivesse pessoas gritando misturado nele, e estava saindo do meu computador. Quando uma frase apareceu na tela, uma mensagem para mim "OLHA DA SUA JANELA SUA VADIA, AGORA VOCÊ VAI MORRER. ADORO TE TORTURAR POR QUE EU ME DIVIRTO COM A SUA DOR."



Depois disso eu tranquei a porta do meu quarto, me escondi no armário, e senti algo entrar na minha casa e tentar arrombar a minha porta. Fazia uns barulhos como se fosse um bicho, um monstro, e repetindo sempre aquela frase, ai eu comecei a rezar para que tudo aquilo parasse. E quando finalmente parou, e eu saí, eu só via marcas pegadas de pareciam cascos de algum animal estranho. Ai percebi que ele não havia ido embora, estava andando no forro da casa.



Saí correndo o que pude de lá e fui para a casa do meu parente mais próximo. E contei o que houve, ele disse que poderia ser só bandidos, que devem ter rastreado meu endereço e vindo, e que o resto por conta da adrenalina, eu deveria ter imaginado ou algo assim. Mas mesmo assim eu não voltei mais lá, e vendi a casa. Hoje depois de um tempo, tomei coragem para falar desse assunto novamente e pedir, se por acaso achar esse tópico no fórum, ou essa usuária, fique longe. Até hoje tenho que tomar remédios para dormir, por que se eu não tomo eu sonho com aquele episódio, com tudo que aconteceu, aquela coisa... nunca mais saiu da minha mente e nunca mais consegui jogar Amor Doce de novo.


3. BONS PESADELOS
- Por: Raguer

Olá a todas as docetes que estiverem lendo isto. Como já devem ter percebido, existem muitas creepypastas sobre amor doce. Mas será que elas são verdadeiras? Eu realmente não acreditava em nenhuma delas, até acontecer comigo. Eu até ás vezes me perguntava, “Como é que demónios podem ser libertados através de um joguinho inofensivo?”. Já li creepypastas de docetes demoníacas e de episódios especiais, bem e a minha historia pode se considerar um pouco a mistura das duas. Depois do que me aconteceu nunca mais voltei a jogar Amor Doce, foi uma coisa que me chocou bastante e destruiu a minha vida. Eu estou escrevendo isto no quarto do hospicio para onde me mandaram, bem pelo menos aqui estou protegida, ela não me atormentar aqui…
Era um Sábado, acordei, lavei meu rosto e tomei o café da manha, a casa estava silenciosa, os meus pais ainda deviam estar a dormir. Liguei o meu computador e fui ao Amor Doce, notei que tinha uma MP, talvez um pedido de amizade, coisa que raramente recebia, bem, eu estava certa, a mensagem era do Amor Doce e dizia “O jogador @666Nightmare666 quer ser seu amigo em Amor Doce. Clique aqui para aceitar ou recusar este pedido de amizade.” aquela mensagem de sempre. Fui até ao perfil dessa tal 666Nightmare666, a sua carteirinha de estudante era igual ás das outras docetes, mas achei estranho o fato da docete estar com roupa do episódio 17 sendo que estava no episódio 0, eu realmente pensava que só se podia fazer replay a partir do episódio 1, logo obviamente achei estranho, mas ignorei, na “Assinatura” estava escrito “ Eu sou um pesadelo e te irei atormentar para sempre”, talvez fosse um trecho de musica… Aceitei o pedido de amizade e quando era para voltar á página inicial o meu Google Chrome deu erro, mas invés de aparecer “Ele morreu, Jim”, apareceu “Vc vai morrer, (O meu nome)”, será que era um vírus?! Ouvi um estrondo vindo da cozinha, e o meu PC reiniciou sozinho. Eu estava nervosa, me sentia observada e acho que estava suando, o PC abriu no AD, tinha uma mensagem, era da 666Nightmare666 e dizia: “Obrigada por aceitar. Eu sou amiga da ChiNo e ela esta fazendo um episódio novo, e ela me pediu para arranjar docetes para o testar, a única coisa que vc precisa de fazer é ir ao seu apê, e depois verá. Assinado, 666Nightmare666”, bem eu achei bem legal, mas achei isso um pouco estranho, fui ao meu apê, tal como 666Nightmare666 me tinha dito, mas antes lhe respondi: “Oi 666Nightmare666, obrigada por me escolher, eu vou fazer como vc disse.”. A página demorou um pouco a carregar, e eu carreguei F5 um montão de vezes, finalmente quando a página carregou estava uma mensagem dizendo “Oi (nome da minha docete), vc está testando o episódio 666 do Amor Doce. Como é um episódio teste, os seus loveos não serão afectados e vc poderá escolher com qual paquera vc quer terminar o episódio. E o melhor de tudo, é que vc não vai gastar PA’s. Mas por favor, não fale sobre este episódio a ninguém, ok? :3”, eu estava realmente feliz, mesmo continuando a achar estranho, carreguei no botão “OK” e automaticamente comecei o episódio. Apareceu a personagem da ChiNo(que assustadoramente estava sem boca o.O) que me perguntou com qual paquera queria fazer o episódio, eu escolhi o Lysandre. O cenário era o do parque, a minha docete dizia “Se passaram 3 anos desde que me formei, me lembro perfeitamente do baile de finalistas, dancei com Lysandre e ele me beijou, mas depois disso eu mudei de cidade e nunca mais o vi”, uma imagem da minha docete dançando com Lysandre apareceu, e de seguida estava a do beijo, fiquei com um sorrisinho bobo na cara, era fofo demais. De um momento para o outro, a minha docete mudou de cenário(e eu não carreguei em lado nenhum o.o), era uma espécie de masmorra, umas 10 imagens se desbloquearam, e eu fui passando elas, a 1º era da minha docete presa, estava bastante sangue no chão, a 2º,3º,4º e 5º imagens era um zoom(cada vez maior a cada imagem) á cara da minha docete, ela estava sorrindo perturbadoramente, a 6º imagem era de um corpo, a 7º,8º e 9º imagens era do corpo visto de vário ângulos, o corpo estava horrivelmente mutilado, o cabelo estava cheio de sangue e a única coisa que me fez perceber quem era foi a tatuagem nas costas, o corpo era de Lysandre, a 10º imagem foi a que mais me chocou, a imagem era minha com a minha família, na verdade eram apenas as nossas cabeças penduradas por cima dos nossos corpos, o rosto dos meus pais não tinha expressão, mas o meu sorria tal como o sorriso da imagem da minha docete. A tela do meu computador ficou preta, e de um momento para o outro a 10º imagem começou rodando na minha tecla fazendo o som de gritos, felizmente consegui desligar o computador antes que os meus pais acordassem, até que eu comecei a ouvir sons de passos e cada vez eles ficavam mais altos, até pararem de vez, quando me virei para trás quase tive um ataque cardíaco quando vi uma garota segurando uma faca que pingava sangue, ela se atirou para cima de mim, eu tentei fugir mas acabei caindo da escadas e eu acho que desmaiei, quando acordei estava presa á cama, a garota começou a cantar “Eu sou um pesadelo e te irei atormentar para sempre” enquanto lentamente cortava a minha pele em forma de três grandes seis formando um triangulo com eles. Acabei por me libertar das cordas que me prendiam, a garota foi buscar algo, e deixou a faca em cima da cama, me soltei e alcancei a faca, depois de a segurar bem, me escondi atrás da porta e ataquei a garota, fiquei por cima dela, ela ainda me consegui furar um dos olhos com os dedos, mas eu cravei-lhe a faca diretamente no coração, ela trazia gasolina e um isqueiro, não pensei duas vezes e comecei por espalhar a gasolina em minha casa, eu fui tentar acordar os meus pais, mas eles tinham sido brutalmente assassinados, então vi a minha casa ser consumida em chamas, e eu fiquei do lado de fora assistindo, esperando aquilo acabar. Mais tarde os vizinhos me levaram para este hospicio, onde escrevo isto, a policia apenas encontrou o corpo dos meus pais, logo sei que 666Nightmare666 continua viva, tentando atormentar mais docetes como eu...

4. A VERDADEIRA VIOLETTE
- Por: HanonAkai

Era outro dia normal para mim... Acordei e fui para a escola, lá, minha melhor amiga corria animada me dizendo que havia chegado o episódio 18 no jogo de paqueras "Amor Doce" fiquei totalmente empolgada, que quando retornei a minha casa, fui diretamente ligar o computador.
Liguei, e até então estava tudo em um estado bem normal. O nome do episódio era: "A goteira". Eu achei que era um episódio sobre uma misteriosa goteira na escola, então, continuei jogando sem entender o verdadeiro mistério...
Antes de tudo começar, Chino apareceu com um aviso, dizendo que aquilo era um episódio feito por uma empresa comercial, não seria o episódio 18 oficial. Por isso não iria precisar gastar Pontos de Ação (PA'S). O que me deixou muito feliz! Aquilo tudo começou com Violette me falando que os alunos começaram a desaparecer do nada...
Eu me assustei, mas entendi que deveria ser um episódio dos meninos se escondendo da Docete, e por fim ela encontraria o paquera e o beijaria (FINALMENTE!)
Fui para fora da escola, lá, comecei a encontrar pistas! O bloco de notas de Lysandre estava jogado por ai, a prancheta de Nathaniel estava toda rasgada e amaçada, espalhada por toda a cidade, mostrando assim um caminho. O PSP de Armin estava ao todo, quebrado e pisoteado, foi assim que encontrei uma casa com um ar meio sombrio...
Não me importei, lá deveriam estar todos os paqueras. Cliquei para abrir a porta, mas antes apareceu um aviso escrito assim: "Deseja mesmo abrir esta porta? E se eles não estiverem ai?" cliquei que sim, afinal, eu não gastaria PA'S se errasse! Entrei lá e vi Totó correndo elfóricamente


Continuei andando por ai, até que ouvi vozes assustadas, eram altos gritos de desespero: "POR FAVOR! NÃO FAÇA ISSO!" e depois tudo se parou... Corri rápidamente para de onde surgiram os berros. Quando abri a porta do quarto em que aconteceu a gritaria, quase desmaiei. A imagem vista era a seguinte:
Nathaniel com a barriga inteiramente cortada, cheio de sangue pelo corpo. Castiel com as veias arrancadas, formando uma "corda" em seu pescoço. Lysandre sem os dois olhos e com o rosto inteiramente sujo de sangue. Armin com partes do rosto cheias de detalhes pretos como se fossem queimaduras, e estava sem sua cabeça. Alexy sem camiseta e com um buraco enorme nas costas, ao lado, seus rins arrancados dolorosamente. Kentin com o pescoço arranhado e a pele do braço arrancada...
Fiquei assustada e vi me virei, desbloqueei outra imagem com a foto de uma mulher segurando uma faca com uma mão e o corpo de Leigh em outra. Quando a imagem sumiu, revelou o rosto da autora de todo aquele terror: Violette
Ela se aproximou de minha Docete rindo, e colocou a faca próxima ao meu pescoço dizendo: "Você queria todos para si mesma... E não deixou nem eu ter meu amado... Quer saber? Eu provei o sabor de todos... Não é tão bom assim, se quiser, pode ficar com os cadáveres. Ou fique com eles... Lá no inferno!"
Apareceu para mim clicar em "Ver vídeo" eu cliquei de um jeito apavorado... O vídeo era este: Violette pegou a faca e cortou boa parte da boca da Docete, depois que fez isso, pegou novamente a faca, abriu toda a boca da docete e aprofundou sua arma garganta abaixo... Depois deu um pequeno giro com a lâmina dentro do garganta da docete e o pescoço de minha personagem foi arrancado. 
O vídeo parou e apareceu na tela a função: "Desbloquear imagem final" cliquei para acabar com todo aquele horror e apareceu Violette, com as roupas todas ensanguentadas, segurando a cabeça da minha Docete. Na imagem tinha escrito com um efeito tipo sangue: "Agora é sua vez... Gabriela..." 
Aquele era meu nome! Eu nunca puis meu nome real no Amor Doce, nem na inscrição, eu coloquei o de uma amiga minha! Fiquei apavorada e desliguei o computador, fiquei decidida que nunca mais jogaria Amor Doce...
Me levantei e fui tomar um banho, quando sai do banheiro, quase tive um chilique ao ver um poster pesonalisado que eu tinha do AD, que havia virado aquela imagem da Violette com a cabeça da Docete em mãos! Foi muita coisa para mim... No mesmo dia, fui a um psicólogo me tratar
Fiquei 4 meses sem jogar AD, quando finalmente tomei coragem e fui jogar aquele joguinho... Me surpreendi com a chegada do verdadeiro episódio 18, porém, evitei jogar. Tinha o mesmo nome que o que joguei no passado... Vi um vídeo e me acalmei pois o episódio estava de um jeito normal. Quando entrei em Sweet Amoris, vi Violette sorrindo pela primeira vez. ela se aproximou e sussurrou em meu ouvido: "Você voltou Gabriela... Sabe o motivo daquele episódio? Vá até o porão de sua casa e descubra!" 
Por pura burrice e curiosidade, fui até o porão de minha casa, onde encontrei uma menina com cabelos roxos segurando uma faca, ao lado dela, uma goteira de sangue. Ela falava sorridente: "Esta goteira corre aqui a 4 meses... O cenário era esse porão... Eu moro aqui... E não gosto de sua presença em minha casa!" ela sorriu e me matou do mesmo jeito que vi no vídeo alguns meses atrás
Minha única visão antes da morte foi um rádio, onde transmitia a voz de Chino: "Desculpe, a empresa mandou um episódio errado... Perdão a quem jogou, mas aquilo trazia os personagens a realidade... Obrigada por terem se divertido com meu querido joguinho! Boa morte a todos!" Depois de ouvir aquilo, morri, e todos achavam que era pois um ladrão havia entrado em casa... Quem imaginaria que era uma pequena personagem, antes inocente, que teve coragem daquilo tudo?


5. O SURTO

- Por: Keiperolim
Essa história aconteceu em Outubro de 2013. Uma garota, como você, nunca mais se esqueceu daquele dia. Não que ela ainda esteja aqui para contar. Para preservar sua identidade, vamos chamá-la apenas de... Docete.
Docete era uma menina normal, que cursava o 2º ano do Ensino Médio. Desde pequena, sempre foi excluída na escola. Diziam que ela era meio doidinha. Segundo terceiros, ela vivia falando sozinha. Com árvores, pedras, sua borracha ou até mesmo amigos imaginários.
No entanto, o que eles não sabiam, era que a menina era carente. Não é como se ela realmente acreditasse que as coisas iriam à responder. Só que falar com objetos inanimados era melhor do que não falar nada.
O tempo passou, e ela nunca conseguiu se enturmar por conta de suas atitudes. Nunca teve amigos, nunca teve um namorado.
Um dia, vagando pela a Internet, encontrou um anúncio que lhe chamou a atenção. Ele prometia"uma linda história de amor". Ainda por cima, tinha um garoto bonito. Sem pestanejar, ela clicou no link e acessou o site de um jogo chamado "Amor Doce".
A menina se viu, em pouco tempo, viciada no tal jogo. Tinha uma conta para cada paquera. Era a típica docete rica, tinha todos os mangas, artbooks, figuras animadas dos paqueras, etc...
Sua existência havia perdido o sentido, sendo dedicada inteiramente aquele tão incrível jogo de romance. Seu maior sonho? Torná-lo real.
Seus pais já estavam preocupados. A menina mal comia, não dormia, suas notas no boletim caiam e o brilho de seus olhos estava se esgotando.
Um dia, navegando pelo fórum, a menina encontrou um Cupcake voador e estranhou. Ao contrário de hoje em dia, eles não existiam em nosso site. Ainda assim, clicou.
Uma tela preta se abriu. Quebrando o visual monocromático, um ponto de luz no centro. Curiosa, Docete clicava no ponto, e a cada clique, a luz se aumentava.
No final, Chinomiko aparecia vestida de preto com um sorriso minimamente estranho. O bloco de sua fala dizia:
" - Obrigada por acompanhar o jogo todo esse tempo! Sinto muito, mas estarei apagando todos os dados dele. Até a próxima, Docete! "
Docete se desesperou. Tentava ver se alguma resposta estava disponível, mas nada. Afobada, correu para um grupo no Facebook e contou para outras meninas sobre o ocorrido com ela.
Elas a chamaram de mentirosa, louca varrida, retardada. O jogo funcionava perfeitamente bem para todas elas.
A menina começou a chorar. Por mais que tivesse tentado entrar por todas suas outras contas, era sempre direcionada para outro lugar.
Sua última tentativa foi acessar através do celular. Algum milagre havia ocorrido, e ela ficou realmente muito feliz. No entanto, o site não estava normal. A tela tinha uma tonalidade puxada para o roxo, e não tinha a opção que iniciava o jogo.
Antes que ela surtasse de novo, Chino apareceu na tela novamente.
" - Ora... Pelo visto você está realmente desesperada, não é mesmo? Diga-me docete... Você faria realmente de tudo para poder jogar novamente? "
Dessa vez, não tinha resposta, mas ela involuntariamente berrou "sim". Chinomiko sorriu. Será que ela havia compreendido sua voz...?
" - Ótimo. Então... Eu sinto em dizer, mas não posso fazer nada quanto as suas contas. Também não posso permitir que crie outras. Nem tente. Eu vou saber que é você. Mas tenho uma proposta. Você pode trazer novos paqueras só para você. Eles não precisam ser idênticos, nem sequer humanos. Só minimamente parecidos com os originais principais, quanto à cor do cabelo e dos olhos. No caso, do Castiel, Lysandre, Armin, Kentin e Nathaniel. "
– E como eu faço isso, Chino? Como!? - perguntou Docete, aos berros histéricos.
Ela sorriu diabolicamente.
"- É simples, querida. Mate essas pessoas."
Docete sentiu sua espinha gelar. Matar alguém... Ela? Ela nunca havia feito mal para uma mosca sequer! Mas ainda, ela queria mesmo jogar.
Sem alternativas, ela respondeu.
– Está bem. Eu o faço. - disse, decidida.
" - Perfeito, então. Você tem até o final de hoje para concluir esse desafio. Bom jogo, Docete. - ela riu, sumindo e levando consigo a coloração da tela. "
A garota pegou alguns objetos e saiu. Já sabia quem seria o substituto de cada paquera.
[...]
No dia seguinte ao que havia ocorrido o trato com Chinomiko, o noticiário se iniciou com uma notícia trágica. Uma garota de apenas 16 anos havia ido para o hospício local por conta de um surto de loucura, que a levou a matar cinco vidas.
O primeiro, era seu colega de sala, Castro Maldonado. O garoto possuía lindos olhos cinza. Como os de Castiel. A menina invadiu sua casa, trancando a porta do quarto em que ele estava. O amarrou em uma cadeira, impedindo com que o mesmo se movesse. Vizinhos dizem que ele gritava desesperado.
Com o pote de tinta que havia pego, ela tingiu os fios do garoto de vermelho. Estava pessimamente pintado, por sinal. Em seguida, provocou um incêndio naquele local, matando o menino por ingestão excessiva do carbono presente no ar.
O segundo, seu professor de química, Nicolas Ferraz. Ele era jovem e muito belo, com olhos cor-de-mel, e lindos cabelos loiros. Sua morte foi menos bruta do que a anterior. Ela "apenas" o envenenou com o veneno de rato que encontrou na dispensa de casa. Ele se negou a beber, mas ainda assim, teve comprimidos enfiados por sua goela abaixo. Digamos que a sua inteligência foi um fator bônus para ela o assimilar ao Nathaniel.
Sua próxima vítima? Seu próprio cachorro, Kevin. Ele tinha os pelos absurdamente castanhos, e olhos verdes como os do paquera Kentin. Ele gostava de doces. Principalmente seus biscoitos caninos de chocolate falso. Sua mãe sempre a avisou que cachorros passam mal com chocolate. Bem, pelo menos Kevin morreu feliz.
Docete sabia que Lysandre seria o paquera mais complicado para arranjar. Afinal, onde encontraria olhos perfeitamente heterocrômicos como os dele? Ela foi ao laboratório médico da faculdade onde seu pai trabalhava. Sempre teve nojo de corpos para serem dissecados, mas agora era uma questão de honra.
Pegou um olho verde, outro amarelo. Digamos que o guarda grisalho que surgiu facilitou - e muito! - seu trabalho. Louca, repetiu o que fez com Castro anteriormente. O prendeu em uma cadeira, fazendo uma armadilha em forma de teia, impedindo com que ele se movimentasse. Arrancou seus dois olhos, os jogando em um canto qualquer da sala. Como ela conseguiu? Isso de fato, continua sendo um mistério. De qualquer forma, após fazer isso, costurou os olhos coloridos que havia pego, ignorando os gemidos de dor do homem. Em seguida, o golpeou diversas vezes com um bisturi, levando-lhe ao óbito. Após matá-lo, o jogou em um aparelho de raio-x, para "esconder" o corpo.
Às 23:32, já era hora de arrumar algum substituto para Armin. Ela seguiu até o cemitério local. Ultimamente, corriam boatos de um necrófilo á solta na cidade. O chamavam de Armandinho. Diziam que ele era belíssimo, com lindos olhos azuis e cabelos pretos.
Bom, se ela o matasse, estaria fazendo ao menos um bem para a humanidade, não é mesmo?
Como esperava, ele apareceu. Escondida, podia observar sua movimentação. Homem nojento. Como ele conseguia gemer de prazer com aqueles pobres mortos?
Sem pensar duas vezes, lhe esfaqueou em todas as partes possíveis, enfraquecendo seu corpo, de forma com que em poucas horas, ele iria morrer. O jogou no túmulo da mulher que molestava. Pelo menos assim, teria um escroto à menos no mundo.
Ela estava contente, pois finalmente poderia jogar "Amor Doce" novamente. Seu pijama branco estava sujo de sangue, mas ela não ligava. Finalmente, poderia jogar seu amado jogo novamente!
Porém, tudo que é bom dura pouco. O carro da polícia e do hospital psiquiátrico chegou aonde ela estava, a cercando. Ela foi sedada, e em seguida levada para o manicômio.
Seus pais choravam, seus colegas assustados. Não podia se mover, e sua mente estava agora doentia, de fato. A culpa pelas mortes pesava em seus ombros. Isso foi tudo o que ela conseguiu.
No entanto, um dia, enquanto observava as paredes brancas de seu quarto, a imagem de Chino reapareceu para ela, a fazendo tremer compulsivamente.
" - Oh, pelo visto você conseguiu o que eu te pedi! Muito obrigada Docete! - ela sorriu. - É realmente uma pena que você não vai poder jogar, estando presa aqui... Ah, mas não pense que seu esforço foi em vão! Sabe os indivíduos que você matou? Eles serão homenageados em meus desenhos, e talvez lembrados para sempre! Além disso, as outras jogadoras vão gostar bastante... As imagens do Halloween 2013 serão um sucesso, e tudo graças à você! "
Ela sumiu, deixando Docete psicótica em seu mínimo quarto branco. A última coisa que conseguiu ouvir foi uma voz dos que matou atrás de si, todas repetindo a mesma coisa.
– Que pena, você perdeu as imagens! Boa sorte na próxima... Otária!


6. O BEIJO FINAL

- Por: MisakeAngel

Sexta-feira 17/08
Assim que cheguei da escola, fui direto para o computador jogar, meus pais estão viajando e eu estou cuidando da casa, mas, antes que você se assuste, eu tenho 18 anos! Enfim, quando loguei o site, estava tudo muito diferente, aparecia a ChiNoMiko na página inicial com a seguinte frase: “ Episódio novo disponível! O beijo final! ”.
Mas, espera aí... Beijo final? O último episódio!
Pulei de alegria da cadeira e fui direto jogar, mas havia uma mensagem na minha caixa de mensagens, era da ChiNoMiko, OMG!
“ Querida docete, o Ep. Final será diferente para todas, por isso não há guia de episódio no fórum. Como é o final, PA’s não serão gastos.”
Depois dessa incrível noticia fui jogar. O cenário se passava na praça e todos os personagens estavam lá, com eles: Lysandre, Armin, Alexy, Violette, Nathaniel, Kentin, Iris, Rosalya e Leigh.
Estranhei o lugar e também achei estranho o modo como estavam todos com um olhar triste. Outra coisa que percebi é que meu paquera favorito não estava lá, era Castiel.
Não liguei e continuei jogando, Havia três opções de fala:
A. Oi gente, o que está havendo?
B. Por que essas caras?
C. Por acaso tem algum enterro pra ficarem assim? Rs.
Escolhi a C, pois era meu jeito escolher esses tipos de falas, meio que zoando, não sei explicar.
Lysandre que respondeu.
– Sim, tem um enterro. Castiel morreu num acidente de trânsito.
Achei que aquilo poderia ser uma brincadeira da tia ChiNo, então continuei, em seguida, Armin fala:
– Foi uma pena ele ter morrido, ele foi defender a namorada de um assaltante, eles estavam andando de moto quando aconteceu tudo isso. Ela sobreviveu, mas ele não. Não sabemos quem fez isso, infelizmente. Saiba que você não deveria estar aqui, mas resolvemos contar a todos sobre isso.
Ué, Armin falando comigo desse jeito? Coisa louca! Aquilo estava muito estranho, mas, como disse, minha curiosidade me levou a certos problemas.
Havia mais opções de falas:
A. Que namorada!?
B. Que horror! Mas quem era a namorada dele?
C. Parem com isso, não tem graça nenhuma essa brincadeira.
Escolhi a C, porque né... Ta estranho isso.
Então Kentin responde:
– Isso não é brincadeira, Castiel era nosso amigo, não iríamos brincar com isso!
Em seguida Rosalya, com um olhar de raiva para mim.
– Kentin tem razão! Ah, e afinal, MizakeAngel, está no hospital se recuperando, Debrah.
Nesse momento eu pirei! DEBRAH?!
Como assim?! Eu estou no papel de Debrah?!
A tela do meu PC ficou preta e apareceu a seguinte mensagem:
“ Agora que você já sabe a metade, deixe-me contar o resto.”
Tentei dar ESC para sair daquela droga, mas não funcionava, até que começou a tocar uma música de funeral e a cara do Castiel apareceu ensangüentada, em seguida a tela preta voltou com a mensagem:
“NÃO se preocupe, desde o ep. 16 você tem sido a Debrah.
OLHE, fiz o jogo com o intuito de você docete, se dar mal no final.
ATRÁS de garotas como você que buscam diversão em jogos assim...
DE certa forma, você deve sofrer de verdade, mas só digo uma coisa:
VOCÊ é culpada por esse final, querida. Veja a imagem final, Mizake.
A imagem final era... Castiel beijando a docete, enquanto alguém vinha por trás e atirava nele, a moto aparece jogada, ele havia se jogado, na frente da docete... Ah não, depois de dar zoom na imagem vi quem era o “ alguém ”, era Debrah.
Depois disso apareceu outra mensagem:
“ Leia cada palavra grafada com letra maiúscula da mensagem anterior para poder concluir o episódio.”
A mensagem era “ Não olhe atrás de você.”
Acho que Castiel veio se vingar, até mais!

7. UMA MADRUGADA ASSUSTADORA
- Por: Kiiyo
Fiquei encarando o relógio do notebook. O site já estava aberto para entrar no jogo.
– Pronto, já são meia noite. – Entrei no Amor Doce para receber os pontos de ação. – O jogo "bugou" de novo?!
As opções estavam em branco e a minha boneca não estava no lugar onde deveria estar. Talvez fosse só um erro de atualização, pelo menos poderiam ter colocado o Site em manutenção como na maioria das vezes.
Fui aos objetivos para lembrar o que eu tinha que fazer para terminar o capítulo em que eu estava. Na primeira opção dizia para andar pela escola até desbloquear um diálogo – Não sabia quantos pontos de ação eu tinha, então fui locomovendo aleatoriamente até achar alguém. Depois de um passo rápido, eu juro que antes na sala B tinha visto alguém no fundo, mas não tinha o diálogo. Com dúvida, voltei na sala.
– Não tem ninguém aqui? Mas eu juro que... – ChinoMiko apareceu com cara de quem estava preocupada ou fugindo de alguma coisa.
“Vamos, temos que sair imediatamente daqui!”. O cenário ficou mais escuro, não foi por conta do meu computador, pois ele estava normal, o problema era naquele jogo. No começo eu não estava me importando, mas é claro que comecei a achar estranho. Locomovemo-nos para o porão.

“Ótimo! Você está começando o episódio especial! Prepara-se para...” Sabe quando tem aquela certa interferência quando o Slender está prestes a aparecer? Foi quase isso. Pelo o som, aquilo me assustou. Na parede estava escrito algo em Inglês sobre fugir, esconder, ter cuidado. O meu nível de Inglês não era muito bom, então fui no Google tradutor para poder entender.
The fear is in you. Try to escape it
Voltei para a aba para ver oque ia acontecer depois e vi que minha docete estava com o capuz e de frente para a escola (?) sorrindo. Em baixo, as opções A – Fugir. E a B qual foi escolhida. – Espaço em branco. Imediatamente, fechei a janela do servidor, abaixei a tela do notebook e peguei meu celular.
Meus pais saíram para jantar, hoje era o aniversário de casamento deles. Decidi mandar uma mensagem perguntando se eles iam demorar, naquela altura, eu já estava com medo.
“Não, só um pouquinho, filha.” Li a mensagem em voz alta e virei para trás com a cadeira deixando o aparelho lentamente encima da cama olhando para a parede. Estava com a mesma mensagem do porão. Me virei para o computador e ele estava ligado, aberto, na página do AmorDoce com a ChinoMiko dando parabéns por terminar o episódio, ela esperava que eu me divertisse a partir daquele momento. Já entrando em pânico, eu não sabia oque fazer, mas depois que pensei: Afinal...Eu não tinha desligado
– Sim, você vai se divertir, só que vai ser comigo. – O computador tinha desligado sozinho naquela altura, mas eu sabia que o som não veio de lá, mas sim do local onde eu estava.
Mas agora...O que é que está escrito na sua parede?

8. LUNARI, A MODERADORA FANTASMA
- Por: Miss Criss

Meu nome é Brenda e eu tenho 14 anos,e eu fui uma das sobreviventes da manifestação da Lunari.Curioso pra saber o que aconteceu não é?Bom tudo começou enquanto eu estava em uma pagina do facebook...
"Hoje eu vou passar o dia no facebook interagindo com outras docetes" era o que eu pensava,eu sempre gostei muito de conversar com outras docetes,elas me entendem...
Eu estava num grupo chamado Espaço Amor Doce,eu era veterana do grupo,entrei quando tinha apenas 100 membros mais isso não vem ao caso.Eu geralmente era bem ativa no grupo e costumava a olhar todas as publicações e comentar tudo,até que eu vi uma publicação de uma garota bem ativa como eu também,na publicação eles falavam sobre uma tal "ex moderadora" que havia desaparecido,eu fui lendo os comentarios e vi fanfics sobre ela e comecei a discutir o assunto com elas também.Eu perguntei a elas se o perfil dessa moderadora havia sido excluido,elas disseram que não e me passaram o link.Eu visitei o perfil dela,olhei cada detalhe e notei que aquele perfil era bem estranho,ainda mais a frase do "É tarde,muito tarde" e também ela ter somente 99 dias doces,estranho uma docete sumir antes de seus 100 dias que são considerados o aniversario da docete e ainda mais sendo uma moderadora.Ainda mais ela tinha loveo grande com o Castiel ainda no episodio 6,o que é muito dificil pois naquela epoca não haviam ainda os guias de resposta.
Eu comentei essas coisas com as garotas,nós discutimos sobre o assunto e como achavamos estranho o sumisso dela e como tinha acontecido,umas disseram que ela podia ter perdido a senha,mais é muito dificil por que com esse tempo de jogo ou seja 3 meses ja é esperado que você ja a tenha decorado.Eu disse a elas que iria mandar um convite de amizade pra a moderadora,falei que já esparava que ela não fosse aceitar pois ela não entrou mais mas mesmo assim eu arrisquei. Logo que eu mandei o convite minha caixa de mensagens indicava que eu havia recebido um novo MP,eu esperava que fosse da minha melhor amiga do AD,a Cheesy já que viviamos conversando por lá,mas para minha surpresa não era dela,e sim do "amor doce",eu achava que era mais um daqueles desafios no Mortall Pillow,mas como eu odeio jogar aquilo eu ja estava com intuito de ignorar.Na verdade era uma notificação que alguem tinha aceitado meu pedido de amizade,eu nem me interessei em ver o nome de quem havia aceito e ja fui direto pro perfil da docete,até hoje me arrependo de ter feito isso.Logo que abri o perfil dela,estava lá,escrito como minha amiga "Lunari".Eu fiquei apavorada neste momento,por que já que ela havia entrado hoje para aceitar o meu convite,como assim os dias doces dela ainda marcavam 99?Neste exato momento eu entrei no grupo do facebook,para comunicar as meninas do ocorrido,mais eu fui olhar no grupo e publicação e tudo relacionado a "Lunari" tinha desaparecido,inclusive as notificações das pessoas que haviam curtidos meus comentarios sobre ela e minhas publicações com fotos e estatisticas do perfil.Como eu não achei as garotas no grupo eu resolvi falar com elas no chat privado,mas elas haviam sumido completamente do meu facebook,na verdade todas as pessoas que eu conversava haviam sumido do meu facebook,na verdade todas as docetes.Por sorte eu tinha um amigo que eu conversava e não entendia sobre as coisas do AD e ele ainda não havia sumido,eu estava falando com ele normalmente mas quando fui tocar no assunto da Lunari as mensagens falharam e aparecia lá que eu tinha que reenviar,mais sempre que eu tentava não ia,e minha internet não tinha caido,mais quando eu tentei falar de outro assunto a mensagem foi normalmente,eu fiquei perplexa e resolvi ir falar com a Cheesy sobre o que tinha acontecido,mais lá no AD os MP'S não estavam indo,toda vez que eu tocava no assunto a mensagem falhava,a cada palavra que eu escrevia eu ficava mais desesperada,onde eu fui me meter!!Finalmente consegui enviar uma mensagem pra a Cheesy,ela era grande pois explicava tudo o que estava acontecendo comigo,ela estava online e ela não respondeu a mensagem de imediato como geralmente faz,mais sim respondeu depois de 10 minutos,eu achei que ela ia escrever um texto,mas o que ela disse foi só "Eu andei pesquizando sobre isso e já aconteceu com outras docetes,mais todas elas morreram quando aconteceu,então Fujaaaaa" eu fiquei arrepiada a hora que ela disse isso,eu respondi ela,fiquei com medo mais não dei me ao luxo de fugir,ela disse pra mim sair rapido do AD pra ela não achar meu indereço,por que se eles achassem eu estava frita.A hora que eu fui responder essa mensagem e dizer tchau por que eu ia a sair a pagina do AD recarregou,mais quando ela voltou não estava mais no chat da Cheesy,e sim estava no chat da Lunari,mais não havia nada escrito lá,mais do nada uma mensagem foi enviada por ela "É tarde,é muito tarde",quando eu li isso eu tentei imediatamente fechar a guia do AD mais não fechava,então fui direto tirar a bateria do meu notbook.
Depois que eu tirei eu esperava que meu not estivesse desligado,mais ele não estava,eu fiquei apavorada por que a bateria dele e o moldem de desligado estavam na minha mão.Eu fui de imediato pro andar de baixo da minha casa,praticamente vooei por cima das escadas a procura da minha mãe que deveria estar preparando o almoço,mas quando eu cheguei lá só havia um bilhete com a letra de minha mãe na geladeira com a letra da minha mãe escrito "É tarde,muito tarde".
Eu subi correndo para o meu quarto e traquei as portas e janelas,coloquei meus moveis na frente delas e entrei em um dos meus guarda roupas que não havia sido usado pra me trancar lá.
Eu estava lá já faz uma hora,eu estava com um revolver e uma katana que eu havia pegado do meu pai,até que eu ouvi passos na escada e depois a massaneta do meu quarto girando.Eu comecei a tremer de medo e ja tinha armado uma passarela pra pular pra casa do meu amigo que era meu vizinho caso algo acontecece,então eu peguei minhas armas e fiquei segurando e dei sinal de alerta pra meu amigo avisando que iria pular pro quarto dele a qualquer momento.Alguém falou lá fora do quarto,parecia com a voz de uma pessoa conhecida...
"Brendinha,sou eu,sua irmã,me deixa entrar" eu me choquei ao ouvir isso,minha irmã havia morrido misteriosamente há alguns anos.Eu pulei para casa do meu amigo,eu sabia que ela iria entrar no meu quarto então achei melhor fazer isso.Derrepente veio um estrondo na minha casa,ela havia arrombado a porta e estava indo na direção da janela de lá,derrepente eu vi que era mesmo minha irma,mais ela estava vestida como a docete Lunari,eu entreguei a katana ao meu amigo e fiquei com a pistola e ja estava pronta pra atirar quando ela gritou "EU SOU A LUNARI" depois disso eu desmaiei e lembro de ter acordado no quarto do meu amigo,ele me disse que ele pegou a Katana e cortou ela ao meio,ela estava tentando me matar,meu amigo me disse que ele acredita que ela pode ter criado um novo corpo baseado na docete dela e depois tentado vingança contra mim.
Até hoje eu não sei o por que deste ataque dela,eu só sei que foi a pior coisa que aconteceu na minha vida,acredite se quiser!!

9. TODOS MERECEM UM FINAL FELIZ
- Por: Raguer
Estava farta da Debrah, apenas isso, nem á uma semana a conhecia, e já me tinha causado mais problemas que a Ambre… Rosalya tinha um plano, fomos para o porão, onde podíamos falar a sós, eu, ela e Lysandre. Enxuguei as lágrimas com as mangas da camisola e segui para o porão agarrada ao braço de Lys, pude notar que ele estava um pouco vermelho mas nem dei importância a isso. Rosalya abriu a porta e olhou em volta, o caminho estava livre.

Rosalya: Ouvi uma conversa entre o professor Faraize e a diretora, vai haver um baile de mascaras cá na escola dentro de duas semanas visto que o show não deu muito dinheiro
Lysandre: Ainda falta muito tempo, acho que temos que resolver o problema o mais rápido possível!
Rosalya: Ainda não acabei! Possivelmente os professores irão anunciar isso hoje, e a Debrah vai dar ao Castiel mais tempo para pensar. Raguer, amanhã, vais atrair a Debrah ao vestiário, onde eu e o Lys vamos estar escondidos dentro dos cacifos, aí vc inventa qualquer coisa, para que ela admita o que fez, e eu e o Lysandre vamos filmar tudo e no dia do baile mostramos a todos!
Eu: Mas Rosa, eu já tentei uma vez grava-la, ela desconfiou logo… E se fores tu a falar com ela?
Lysandre: A senhorita Debrah é muito perspicaz, a Raguer tem razão, Rosalya é melhor ser vc a falar com a Debrah, visto que ela não tem nada contra vc.
Saímos do porão em silencio, que foi interrompido pela voz da Diretora dizendo para todos os alunos irem até ao pátio, Rosalya e Lysandre foram na frente, mas eu fiquei de cabeça baixa junto ao meu cacifo, Lysandre olhou para trás, sorriu para mim, e agarrou minha mão, levou-me consigo até ao pátio onde Castiel e Debrah nos estavam olhando com cara feia(apesar da Debrah já ter uma cara feia mesmo).
Professor Faraize: Como já tínhamos anunciado antes, o show de Castiel e Lysandre não juntou dinheiro suficiente, por isso, eu e a Diretora estamos a organizar um baile de máscaras, que será realizado dentro de duas semanas, não iremos precisar da ajuda de nenhum dos alunos, mas a entrada para o baile custa 20$. Garotos, podem já convidar a garota especial para ir ao baile.
Rosalya: Os alunos que não são desta escola também poderão participar?
Diretora: Se o seu par for aluno de Sweet Amoris, sim :)
Eu continuava de cabeça baixa, agarrando a mão de Lysandre, aos poucos os alunos foram saindo, Rosalya foi ligar a Leigh e eu e Lys ficamos sozinhos no enorme pátio, ele levantou o meu rosto, aproximou-se de mim, e quando eu pensei que ele me fosse beijar, ele sorriu para mim, e disse:
Lysandre: Vc quer ir ao baile comigo, Raguer? Sei que não foi um pedido muito romântico, mas mesmo assim, esperava que vc me disse-se sim…

Eu: Claro! Vc é o meu melhor amigo, e como não vou com outra pessoa, por que não?

Notei que o sorriso de Lysandre desapareceu quando lhe disse que ele era o meu melhor amigo, eu abracei-o e ficamos assim durante algum tempo, até que Rosalya nos interrompeu.

Rosalya: Visto que as aulas já acabaram, vamos pedir ao Leigh para fazer os nossos vestidos, Lys, tu vais ajudar a Raguer a escolher as cores, para ficarem a combinar :D

Eu: C-Como é que sabias que eu e o Lysandre íamos ao baile juntos?
Rosalya: Da maneira que estavam abraçados, só poderia ser isso, n é? :p
Eu, Rosalya e Lysandre, seguimos para a loja de Leigh, não ficava muito longe de Sweet Amoris, mas ainda tivemos de dar uma caminhada longa, quando chegamos Rosalya correu para abraçar Leigh que a redopiou no ar, ele levou-nos até ao porão da loja. Sentou-se e começou a fazer esboços de vestido, em 20 minutos, Leigh fez três esboços de lindos vestidos.
Lysandre: Eu gosto deste, não é nada muito chamativo, e como é um baile de máscaras… O que achas Raguer?
Eu: Eu também gosto, só falta escolher a cor e comprar uma máscara!
Rosalya: Deixa que depois eu trato de escolher a cor e de comprar uma máscara, confia em mim Raguer, vai ficar tudo perfeito!
Acabamos por fazer algumas alterações ao esboço do vestido( http://i46.tinypic.com/16azi4o.png) e fomos cada um para sua casa, tomei um banho e me fui deitar. Na manhã seguinte, acordei, tomei o café da manhã e fui para a escola, Lysandre e eu fomos para os vestiários e ficamos esperando Rosalya e Debrah, cerca de 10 minutos se passaram e Rosalya entrou falando com Debrah, Lysandre pegou em seu celular e começou a filmar.
Rosalya: Sei muito bem que não foi a Raguer a te fazer mal naquele dia, vc só inventou tudo, sua pestinha!
Debrah: Foi para isso que vc me chamou até aqui? Sim, eu inventei tudo, mas qual é o problema, aquela garota já me estava a irritar, todo mundo acredita em mim, menos vc e Lysandre, mas quem é que se interessa, vcs não têm provas!
Rosalya: É verdade, não temos provas, mas qual quer dia a sua mascara vai cair!
Debrah, saiu dos vestiários, e eu e Lysandre saímos dos cacifos, tínhamos conseguido filmar tudo, abracei Lys e Rosa, agora só tínhamos de esperar para o dia do baile. Duas semanas passaram rapidamente, o vestido ficou perfeito e a mascara ficou mesmo a condizer. Lysandre me foi buscar a casa e fomos para o baile, seria realizado no porão da escola, tal como o show, o ambiente estava perfeito. Disse a Lysandre que precisava de ir ao banheiro, sabia que Debrah estava lá, e agora sim me podia vingar dela á minha maneira, peguei na faca que escondi debaixo do vestido e entrei com a faca atrás das costas.
Debrah: Raguer, não sei como é que o Lysandre te pode convidar para ir ao baile com ele, e esse vestido é horrível.
Eu: Como o teu fosse melhor… Isso é a nova moda das vacas?
Debrah: Ha,Ha,Ha, que graça.
Rapidamente, encostei a faca ao pescoço de Debrah, tapei a sua boca com um pedaço de pano que cortei do meu vestido e a atirei ao chão. Com a faca cortei a pele do seu rosto e sussurrei ao seu ouvido “Agora sim querida, a sua mascara caiu”, arranquei seus olhos e cortei seus braços, o banheiro se tornou num cenário de um filme de terror, o meu vestido estava coberto de sangue, era uma pena, pois era um vestido tão lindo, vesti uma roupa que tinha guardada no meu cacifo, passei os meus dedos cheios de sangue pelos meus lábios e desci de volta ao porão onde Lysandre me esperava, era a ultima vez que o via, depois disso, eu iria embora para sempre e nunca mais iria voltar. 
Lysandre: O que aconteceu com o teu vestido? E estás a sangrar dos lábios?
Eu: Ouve Lysandre, nunca mais vou voltar, tenho que ir…
Puxei seus lábios contra os meus, e nossas línguas se entrelaçaram, depois disso, sai de Sweet Amoris a correr, a ultima coisa que ouvi foi o grito de Violette, ao encontrar a Debrah morta. Fuji daquela cidade, e fui para outro país naquele mesmo dia, todos merecem o seu happy end, e o meu… O meu, era sem a Debrah…

10. SARAH
- Por: Luana1303

Estava escuro... muito escuro, parecia que estava fora de mim, fora do meu corpo. Parecia que estava vivo, mas ao mesmo tempo morto, me sentia vazio, me sentia preso, estava imóvel. Estava com medo, estava assustado. Que sensação é essa? Risos de criança rodeavam o lugar, e pequenos passos quase que silenciosos eram dados ao meu redor. Em que lugar eu estava? A cada pequeno passo que se aproximava, minhas pernas ficavam  trêmulas, a minha garganta fechou, com a respiração ofegante, apertei minhas pernas mais ainda contra o meu peito, tentando esquecer o som dos malditos passos que dançavam em minha cabeça. O que está acontecendo? O silêncio por um momento reinou, e os passos pararam... Ela está aqui. Consegue sentir a respiração lenta e desesperada dela? A qualquer momento ela te chamará, e lhe obrigará a ouvir o sino. Em meio àquela escuridão perturbadora, pude ouvi-la rastejando pelo o chão... em minha direção. Um cheiro de sangue podre predominou o ar, me dando um embrulho no estômago. O chão estava coberto de sangue. Desesperado, tentei me mexer mais foi em vão, algo me prendia, não conseguia me mexer. Era o fim. Quando ela parou, senti suas mãos frias e geladas tocarem o meu pé. Ela se apoiou nele, e levantou-se, lentamente ela ia aproximando o seu rosto do meu à medida que me afastava, ela chegou bem perto, e sussurrou em meu ouvido: Ei... você... você mesmo... olhe para mim, consegue me ver? Consegue ver minhas cicatrizes? Ele me machucou... você não ouviu o sino? Eu pedi por socorro... mas, todos ignoraram... Você... não quer ficar aqui me fazendo companhia? Venha, ouça o sino. ouça o sino. Espere... somente espere o sino tocar... eu irei pedir por socorro novamente..." Meus lábios secaram, e o suor não parava de descer.

"Castiel!"

Meu coração batia fortemente, e meu corpo tremia desesperadamente.

"Castiel!"

A cada vez que tentava pronunciar uma simples palavra, a voz não saía.

Era o meu fi...

"CASTIEL!"

Ouvia o som calmo de um sino bem fraco. Abri os olhos lentamente, que ardiam ao receber a forte luz do sol. Porque haviam tantas janelas naquela clínica maldita? Havia uma pequena garota, com longos cabelos negros cobrindo o seu rosto parada em minha frente, segurando uma pequena bandeja com comprimidos dentro. Ela levantou seu rosto, e pude ver seu rosto incrivelmente.




Então é isso, demorou para chegar ao fim, mas chegou! Espero que tenham gostado, não se esqueçam de seguir o blog ao lado e comentar aqui embaixo, beijos!

16 comentários:

  1. Eu li todas e gostei bastante!Principalnte a da ex-moderadora <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ela existe de verdade,exatamente como descrito!O único problema é a quantidade de erros no texto,tirando isso eu adorei.

      Excluir
  2. aff que medo da 6! agr to morrendo de medo de voltar ao jogo kkkkkjj

    ResponderExcluir
  3. Eu não resisti e li,mas eu só consegui ler até a METADE DO SEGUNDO!!!!ESTOU COM MUITO MEDO E ATÉ FECHEI O JOGO!!!

    ResponderExcluir
  4. Tô lendo de madrugada. Tô aqui com o c* piscando...

    ResponderExcluir
  5. Mds eu tentei procurar o nome dela tentei add ela mais aparece a seguinte mensagem :essa docete teve sua conta excluída por motivos pessoas

    Wtf ??

    ResponderExcluir
  6. Amei a 5, o surto, para você que não entendeu:

    Castiel, o diab... com o fundo de fogo:

    Colocaram fogo na casa.

    Nathaniel, o cientista maluco:

    O professor era de quimica

    Lysandre, um esqueleto:

    O fundo era de teias, e, a armadilha foi feita com teias.

    Kentin, o lobisomem:

    Cachorro, lobo, lobisomem...

    Armin, o zumbi:

    Ele abusava de mortos, certo? Sabe a surpertisção de mortos virarem zumbis? É isso aí mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é as fantasias que os paqueras estavam em um episódio de halloween? Agora que parei pra pensar, vish

      Excluir
  7. Poxa,agora tô com medo de jogar scrr! Parei na metade da segunda,cruz credo.

    ResponderExcluir
  8. Péra,vou adicionar a Lunari. Qualquer coisa,homenageiem minha docete s2Mai hehe

    ResponderExcluir
  9. AI MAN, ESSA 7 É A MELHOR!

    ResponderExcluir
  10. O perfil da Lunari realmente existe meu deus

    ResponderExcluir
  11. a lunari realmente existe!! cuidado!!

    ResponderExcluir
  12. o 5 realmente deve ter acontecido eu vi as imagens se acemelham muito as da creppypasta!!

    ResponderExcluir

Antes de comentar...

1. Não é permitido fazer ofensas de qualquer nível, e isso é válido tanto para os leitores quanto para as postadoras em si.
2. Não é necessário enviar duas vezes a sua mensagem. Nós vemos, lemos e tentamos responder todas que são mandadas!
3. Não é permitido flood, spam, links maldosos ou qualquer coisa parecida.
4. Aceitamos sugestões para as postagens ou atualizações que esquecemos de colocar em postagens antigas ou recentes.
5. Seus créditos não estão no post ou em alguma parte do blog? Nos avise imediatamente, mas com educação; pois não fazemos isso de propósito.
6. Leia toda a postagem com atenção antes de comentar algo sobre.
7. Recomendados que não dê suas informações pessoais, principalmente e-mail e endereço, a qualquer pessoa mesmo que essa diga ser da administração.
POR FAVOR, NOS AJUDE NÃO ENVIANDO A MESMA MENSAGEM MAIS DE UMA VEZ.